Paralisia cerebral: eritropoetina potencializa efeito da terapia celular com sangue de cordão umbilical

Um estudo clínico acerca da terapia com sangue de cordão umbilical como tratamento para a Paralisia Cerebral (PC) apontou uma nova abordagem para potencializar os efeitos deste recurso terapêutico.


A pesquisa testou o desempenho da terapia celular com células do sangue de cordão umbilical concomitante à administração de eritropoetina (EPO), um hormônio que estimula a produção dos glóbulos vermelhos pela medula óssea. Conduzido na Coréia do Sul, este é o estudo mais consistente já publicado no âmbito da terapia celular para pacientes com PC.

Como foi conduzida a pesquisa Dr. MinYoung Kim desenvolveu um protocolo de terapia celular para Paralisia Cerebral em que é realizada uma injeção de eritropoetina pouco antes da infusão de sangue do cordão umbilical. Após a infusão, outras cinco aplicações de eritropoetina são administradas em intervalos de três dias.

Seguindo a metodologia de um estudo controlado e randomizado, crianças com diagnóstico de PC (média = 3 anos) foram separadas aleatoriamente em quatro grupos:


Grupo 1 – 22 pacientes – Receberam infusão de sangue de cordão+ injeções com eritropoetina
Grupo 2 – 24 pacientes – Receberam infusão de sangue de cordão + injeções placebo
Grupo 3 – 20 pacientes – Receberam infusão placebo + injeções com eritropoetina
Grupo 4 – 22 pacientes – Receberam infusão placebo + injeções placebo.

Nas infusões de sangue de cordão foram utilizadas amostras alogênicas, compatível com o paciente em pelo menos 4 dos 6 principais tipos de histocompatibilidade (HLA).

Para mensurar os resultados, o estudo explorou diversos recursos desde o início da administração até 12 meses pós-tratamento, incluindo medidas funcionais, estudos de imagem cerebral e eletroencefalografia.

Resultados
Os pacientes do grupo 1 (infusão + EPO) apresentaram as melhoras mais expoentes na escala motora. A combinação da terapia celular + hormonal mostrou-se 50% melhor do que os tratamentos com infusão de sangue de cordão isoladamente e três vezes melhor do que o grupo controle e o grupo que recebeu somente a EPO.

Esses resultados indicaram que a eficácia da terapia celular com sangue de cordão pode ser potencializada por Eritropoetina na recuperação em crianças com paralisia cerebral sem efeitos prejudiciais. Os autores da publicação sugerem que os resultados podem ser explicados por propriedades sinérgicas neuro-protetoras e de reparo neural da eritropoetina.


Fontes:
 Min, K. et al. Potentiation of cord blood cell therapy with erythropoietin for children with CP: a 2 × 2 factorial randomized placebo-controlled trial. Stem Cell Research & Therapy , v. 11, 509 (2020). Disponível em: > https://stemcellres.biomedcentral.com/articles/10.1186/s13287- 020-02020-y <  Bunn, HF. Erythropoietin. Cold Spring Harb Perspect Med. 2013 Mar; 3(3): a011619. Disponível em: > https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3579209/ <