Células-tronco mesenquimais: potencial tratamento para sequelas de AVC

O acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico é uma das três principais causas de morbidade e
mortalidade no mundo. Mesmo com os avanços recentes no manejo farmacológico e as
modernas técnicas de intervenção, muitos sobreviventes de AVC permanecem com sequelas
neurológicas. Isso porque os neurônios não tem capacidade de regeneração e, onde há lesão
cerebral causada pelo AVC, há consequente morte neuronal. Assim, as funções exercidas
pelos neurônios que morreram não são recuperadas.

Os estudos com células tronco tem progredido muito para melhorar as lesões cerebrais
relacionadas ao AVC. Alguns testes clínicos na Fase I e Fase II já foram iniciados, utilizando
células-tronco mesenquimais. Os primeiros resultados revelaram que a injeção intravenosa
destas células não causa efeitos adversos significativos, mas pode melhorar as medidas
funcionais, como o Índice de Barthel (BI) 98, o National Institutes of Health Stroke Score
(NIHSS) e a escala modificada de Rankin (MRS) 96.

Um teste clínico finalizado realizado pelo neurocirurgião Gary Steinberg (Não encontrei essa
referencia) também demonstrou uma grande melhora no quadro dos pacientes, mesmo
naqueles que sofreram o AVC há vários anos. Neste estudo, as células-tronco foram injetadas
diretamente no cérebro dos pacientes. Houve melhora visível na movimentação de membros
que haviam ficado paralisados ou com deficiências em decorrência do AVC.
Nos casos de acidente vascular cerebral, o transplante de células-tronco mesenquimais atua
modulando o ambiente inflamatório, estimulando a neurogênese e angiogênese e reduzindo a
formação de cicatriz local. Os resultados dos primeiros ensaios clínicos destacam a
necessidade de otimizar variáveis ​​como a seleção de células e a via de administração para
traduzir esses resultados em aplicações clínicas seguras e bem-sucedidas.

Fontes utilizadas:
Zhang et al. Transplanting Mesenchymal Stem Cells for Treatment of Ischemic Stroke. Cell
Transplant. 2018 Dec; 27(12). Disponível em: >
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6300770/ <
Das, H and Barthels, D. Current advances in ischemic stroke research and therapies. Biochim
Biophys Acta Mol Basis Dis. 2020 Apr 1;1866(4):165260. Disponível em: >
https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31699365/ <