Meningite é Comum em Crianças com Até Cinco Anos | Hemocord Magazine

Meningite é comum em crianças com até cinco anos de idade

Por ano, são registrados de 1,5 mil a 3 mil casos da doença no país. A meningite tipo C é a mais frequente

Durante o inverno, a transmissão de infecções aumenta e os pais devem ter uma atenção maior com a saúde dos filhos. Cuidados com a higienização e ventilação de locais de grande circulação ou pequenos espaços são algumas medidas tomadas para evitar gripes e resfriados. No entanto, a grande preocupação é causada pela meningite, uma inflamação que atinge as membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. A doença normalmente apresenta surtos nesse período do ano.

Só este no ano no Rio Grande do Sul, 48 casos da doença foram diagnosticados, com 10 óbitos confirmados. Cachoeirinha, na região metropolitana teve quatro casos de meningite, com dois óbitos, e decretou situação de emergência por surto comunitário. Apesar de crianças com até cinco anos e idosos serem mais vulneráveis à doença devido a defesa do organismo ser mais frágil, a meningite também pode atingir pessoas de outras idades. Portanto, as precauções devem ser tomadas em qualquer faixa etária.

As causas da meningite variam de acordo com o tipo, viral ou bacteriana. A mais comum, mas também menos perigosa é a viral, que pode ser transmitida através de alimentos, água ou objetos contaminados. Esse tipo ocorre mais no final do verão. Já a meningite bacteriana é a mais grave, pois geralmente a bactéria entra na corrente sanguínea e migra até o cérebro, podendo levar à morte. O contágio ocorre de pessoa a pessoa, através das vias respiratórias, por gotículas ou secreções do nariz e garganta. Fungos e protozoários também podem causar meningite, mas são menos comuns.

Os primeiros sintomas da doença podem ser confundidos com os da gripe, mas é preciso ficar atento quando ocorrer dor de cabeça, vômitos, rigidez na nuca, fraqueza e febre alta. Para crianças uma vacina é disponibilizada aos dois, quatro e seis meses. Ela protege contra a difteria, o tétano, a coqueluche e a Haemophilus influenzae do tipo B, que causa um tipo de meningite bacteriana. Já a vacina meningocócica do sorogrupo C está disponível nos postos de saúde e as doses são aplicadas em bebês aos três e cinco meses, com reforço aos 15 meses.

No entanto, segundo o Ministério da Saúde, a vacina contra a meningite do tipo B não está incluída no calendário de imunização da rede pública. A justificativa é que em média, apenas 150 casos desse tipo da doença são registrados por ano no Brasil. Por ano, são registrados de 1,5 mil a 3 mil casos da doença. Em 2014, do total dos casos de meningite, 70% foram do tipo C e 20% do tipo B. Outros 10% foram causados por bactérias mais raras. A vacina do tipo B só é disponibilizada em clínicas particulares e cada dose custa cerca de R$600.