Crianças precisam de Fonoaudiologia

Quando a criança precisa de fonoaudiologia?

Desde o nascimento e a primeira amamentação, o bebê já começa a desenvolver a região da boca. Essa evolução, aos poucos, vai permitir que a criança possa emitir os primeiros sons e, depois, copie os sons dos adultos – aprendendo, portanto, a falar. Mas, quando isso não acontece de forma natural é preciso buscar um fonoaudiólogo.

Aos dois anos, por exemplo, a criança começa a se comunicar com frases simples. É nessa fase em que se observa os primeiros sinais no atraso da fala, se a criança apresentar pouca articulação da boca.

Já por volta dos 3 anos, a troca de fonemas não é considerada algo anormal. Ou seja, não usar a letra “r”, por exemplo, é comum: a criança pode falar “pato” ao invés de “prato”.

Aos 5 anos, a criança pode também apresentar gagueira. Isso acontece porque a velocidade dos pensamentos é mais rápida que a fala. Dessa maneira, ela pode repetir palavras e sílabas. Uma recomendação é ter calma e ouvir pacientemente a criança, deixando-a tranquila.

Esses problemas de fala são comuns na primeira infância, sendo que a maioria deve desaparecer naturalmente até os 5 anos. Caso isso não aconteça, é importante os pais encaminharem o filho a um fonoaudiologista.

Anormalidades que levam à fonoaudiologia

Mas não é só quando há deficiências na fala que os pais da criança devem procurar um fonoaudiólogo. Há diversos outros motivos que podem ser corrigidos com um tratamento especializado.

Em relação às crianças, esses problemas podem estar relacionados à amamentação. Este é um período extremamente importante para a saúde e desenvolvimento da criança. Mas, alguns bebês podem apresentar problemas na hora da sucção e deglutição (ato de engolir o alimento, no caso, o leite materno). Dessa maneira, há o desmame precoce, e em alguns casos pode prejudicar a saúde do bebê.

Vale destacar que a chupeta não é, necessariamente, algo horrível para a vida do bebê, já que ela pode estimular a sucção. O ideal é consultar um fonoaudiologista para saber como e quando aplicar.

O fonoaudiólogo, portanto, irá agir nessa situação. O profissional irá estimular a criança para que ela aprenda a sugar o leite da mãe, e fazer com que não haja engasgamento. A mãe também participa do tratamento, recebendo orientações do fonoaudiólogo.

Outro problema que pode ser corrigido com a fonoaudiologia é a mastigação. Uma mastigação ruim pode gerar engasgos, má-digestão, entre outros problemas na saúde da criança. Ao observarem esses problemas, os pais devem também procurar o auxílio de um fonoaudiologista.

Sinais de que é preciso levar a criança ao fonoaudiologista

O ideal é que os pais mantenham total atenção e observação no comportamento das crianças, desde a fase da amamentação. Os sinais de engasgamento frequente, dificuldades de gesticular a boca, palavras ditas erradas, língua presa e atraso no aprendizado de sons e palavras são totalmente percebidos pelos pais no convívio com o filho.

Um vocabulário limitado, por exemplo, também pode ser um sinal de que a criança precisa ir ao fonoaudiologista. Em uma fase posterior, problemas na escola e na aprendizagem também podem estar relacionados a disfunções da fala.