Tudo que você precisa saber para escolher o berço do bebê

Quando se está esperando a chegada de um bebê, todas as preocupações se voltam para seu bem-estar, saúde e segurança, inclusive na hora de comprar todo o enxoval e mobiliário. Nos primeiros tempos de vida, seu bebê vai passar muitas horas dormindo, por isso é importante que os pais levem em consideração algumas dicas na hora de escolher a melhor opção de berço.

Neste post vamos passar algumas informações, dentro das novas normas do INMETRO, que vão ajudar bastante na hora da compra.

Os berços de madeira ou MDF se apresentam em dois tamanhos: o nacional leva o padrão de 1,30 m de comprimento por 60 cm de largura. Já o berço padrão americano tem o tamanho de 1,30 m por 70 cm.

No entanto, em qualquer um dos padrões devemos prestar atenção em alguns detalhes: a grade lateral do berço, por exemplo, deve ter no máximo um espaço de 6,5 cm entre uma barra e outra para evitar que o bebê coloque a cabeça no vão. Segundo as regras do INMETRO, a distância entre o estrado e as laterais do berço não deve ultrapassar 2,5 cm, dessa forma evita-se que a criança prenda a mão ou o pezinho.

Os pais devem sentir a firmeza do berço escolhido. Além do espaçamento correto, as barras laterais devem ser rígidas e firmes. O móvel deve ter estabilidade, afinal, é o primeiro lugar onde o bebê vai começar a interagir segurando nas bordas e grades. Ainda, é sempre bom preferir quinas arredondadas para evitar que o bebê se machuque.

Outro ponto fundamental em relação às medidas do berço é a altura do estrado, que deve ter no mínimo 60 cm de profundidade quando colocada na última posição. Isso evita que o bebê consiga pular para fora do móvel quando estiver maior.

A Academia Americana de Pediatria aconselha que os pais não coloquem kits de berço, travesseiros, almofadas ou bichinhos de pelúcia que podem sufocar o recém-nascido ou auxiliar, um bebê maior, em uma perigosa escalada para fora do berço. Segundo especialistas, o risco do bebê bater a cabeça dentro do berço é muito menor do que o de sufocar-se com itens decorativos.

Outro item que deve-se dar atenção é o colchão. Segundo o Instituto Nacional de Estudos do Repouso, colchões para pequenos de até três anos, devem ser de espuma com densidade 18. O bom senso dos papais na hora da aquisição também vale, não é bom comprar um colchão muito duro, nem muito mole.