Tem problema usar aquecedor no quarto do bebê no frio?

Segundo o pediatra Fábio Picchi, especializado em terapia intensiva, não é acoselhavél o uso de aquecedores em quartos de bebê, de um modo geral, por três motivos:
• Existe a ideia de que o ambiente do bebê deve ser “bem quentinho”, e, na prática, usa-se os aquecedores para transformar o quarto em um verdadeiro “forninho”, o que pode ser bastante perigoso, além de desconfortável para a criança.
• Mesmo com os aquecedores não-incandescentes, os chamados a óleo, há sempre algum ressecamento do ar, o que leva as pessoas, muitas vezes, a usar também umidificadores. Aí, o problema é que eles podem ser eficientes demais, umedecendo o ambiente além da conta e favorecendo a proliferação de ácaros e fungos.
• Na maioria das vezes, o quarto do bebê é aquecido, enquanto os outros ambientes continuam com a temperatura normal. Esse contraste de temperaturas pode ser pior para as vias respiratórias do bebê do que uma temperatura estável, mesmo que mais baixa.
Sabemos, contudo, que no Sudeste e Sul do Brasil há períodos bastante frios, que afligem os pais. Há ainda o frio causado pela localização do quarto do bebê na “face sul” do imóvel, ou seja, em uma área que nunca recebe sol e acaba ficando sempre gelada. Nesses casos, pode-se usar o aquecedor, preferencialmente, os não-incandescentes, mas, realmente, só para “quebrar o gelo” do ambiente, tomando cuidado com a questão da umidificação adequada. Se o ar estiver ressecado demais, vale colocar uma toalha ou pano úmido no local, ao invés de um umidificador.
Fonte.