Shantala previne cólicas e aumenta o vínculo afetivo com o bebê

Técnica oriental traz diversos benefícios para a saúde e bem-estar dos pequenos a partir dos primeiros meses de vida
Prevenir cólicas, melhorar a respiração e estimular a capacidade motora são as principais vantagens da Shantala, técnica de massagem indiana para bebês. Ela reforça o vínculo afetivo e funciona como um calmante natural para a criança. A massagem é um ritual de amor e ternura que pode ser aplicada pela mãe, pai ou outro responsável. É indicada a partir do primeiro mês de vida e não possui tempo limite para ser encerrada.
Após o nascimento do bebê, o tato é fundamental, pois é a primeira forma de comunicação com a criança. A Shantala proporciona um momento de maior proximidade, baseada no contato com a pele e o olhar. Essa interação com o bebê é o principal objetivo da técnica. Além disso, a massagem tem inúmeros benefícios fisiológicos, segundo a psicóloga e instrutora de shantala, Natacha Monteiro: “A liberação de endorfina, hormônio que aumenta o bem-estar e diminui o estresse, ajuda no fortalecimento do sistema imunológico do bebê. Os movimentos contribuem para diversos órgãos do corpo e há efeitos também no sistema circulatório, digestivo e respiratório”, explica.
Ao receber a massagem, o bebê tem a oportunidade de desenvolver a formação da sua própria autoimagem e a consciência e limites de seu corpo. “Outro ponto importante dentro desse processo é que a pele funciona como um filtro do mundo externo, as sensações se originam nela, depois são decodificadas e transformadas em percepções, emoções e sentimentos. Desse modo, a identidade do bebê que recebe a Shantala será construída com sensações de proteção, amor e confiança”, completa Natacha.
Muitos bebês estranham a massagem nos primeiros dias e, por isso, é necessário um tempo para a adaptação. O ideal é que os pais insiram a Shantala na rotina do bebê, pois desse modo os benefícios começam a surgir logo na primeira semana, fazendo com que ambos aproveitem todos os momentos dessa experiência.
Porém, existem alguns casos em que não se recomenda a prática da Shantala, pois dificilmente o bebê conseguirá relaxar e aproveitar. “Se o bebê estiver com o estômago cheio, o melhor é aguardar o intervalo das mamadas para dar tempo à boa digestão, bem como se estiver com febre, gripe, diarreia, cólica intensa, doenças de pele, choro ou outros sintomas físicos. Também não se deve acordar o bebê para fazer a massagem, embora seja muito comum eles adormecerem durante a aplicação. Quando o adulto estiver sob algum estresse, irritado ou impaciente não se recomenda que pratique a técnica”, esclarece Natacha, que também é Educadora Perinatal.
A Shantala é simples, mas deve ser aprendida com profundidade para que os benefícios sejam notados rapidamente. Em geral, a massagem dura em torno de 20 minutos e não há restrições em iniciar com bebês e crianças maiores. Ela pode ser feita em no máximo duas sessões diárias todos os dias.