Melasma: como cuidar das manchas na pele durante e após a gravidez

melasma na gravidez - manchas na pele na gestação

Quase tão certo quanto o nascer do sol em um novo dia é o aparecimento de manchas na pele da gestante, que antes não existiam. Segundo dermatologistas, essas alterações de pigmentação na pele podem ocorrer em até 90% das gestantes, com formas e localizações variáveis. Essas alterações são conhecidas como melasma.
Escuras ou amarronzadas, as manchas surgem com maior frequência nos braços, na região do colo e no rosto nos últimos três meses de gestação, e são apenas uma hiperpigmentação da pele em forma de manchas ou pontos que tendem a se desenvolver principalmente em áreas expostas à luz solar.
Nesse mesmo período, também podem ocorrer o escurecimento dos mamilos e o aparecimento da linha escura na barriga, além do escurecimento de sardas e/ou pintas.
Porém, não há motivos para preocupação ou paranoia. A seguir, indicaremos como cuidar dessas manchas na pele durante e após a gravidez.

Por que pode ocorrer o surgimento de manchas na pele durante a gravidez?

A gravidez é um estado de alteração total do organismo da mulher. Há uma intensificação na produção hormonal, que pode levar ao surgimento de alterações pigmentares na pele das gestantes, como o aparecimento de manchas e aumento de sardas e pintas, por exemplo.
Para a Academia Americana de Dermatologia, ainda não se sabe porque o melasma surge, mas a alta carga hormonal decorrente da gestação é apontada como uma das causas. Por isso, é comum o surgimento de novas manchas até três meses após o parto.

Quais são os locais onde as manchas costumam aparecer?

melasma na gravidez - manchas na pele na gestação
Por ser uma das regiões do corpo mais expostas ao sol, o rosto é o local de maior incidência do surgimento do melasma, que pode afetar nariz, testa, bochechas e lábio superior.
É possível que algumas áreas do corpo também escureçam, como as axilas, a fronte, a face interna das coxas, o períneo e também as cicatrizes pré-existentes.
Para as gestantes, porém, o que mais “atormenta” é o escurecimento da linha média do abdome, popularmente chamado de linha negra, comum durante a gravidez.

Como evitar e tratar as manchas durante a gravidez?

Duas recomendações valem para qualquer pessoa, e são indicações básicas para evitar manchas na pele: o uso constante de filtro solar, e a proteção contra a luz do sol com o uso de bonés e chapéus.
Tomar sol durante a gestação é importantíssimo, só que aí vem outra recomendação: essa exposição prolongada deve ocorrer somente até às 10h e após às 16h (17h, em horário de verão).
Além do filtro solar, alguns tratamentos estéticos para combater manchas na pele podem ser realizados durante a gravidez. É possível encontrar no mercado peelings de aminoácidos que têm frutas ácidas como base de sua composição, e que podem ser indicados para as gestantes. Entretanto, aconselha-se consultar o dermatologista antes de sua utilização.

Como tratar as manchas após a gravidez?

Depois do nascimento do bebê, o tratamento de manchas só pode e deve ser iniciado após o cessar da amamentação. Além dos peelings e sessões de laser, também é comum o uso de cremes e óleos, que são potentes despigmentantes, além de ácidos, como o ácido retinóico e ácido azelaico.
A clássica fórmula tríplice, que reúne o tratamento com corticóide e creme clareador, é outra forma de tratar as manchas na pele.
Mesmo assim, continua um bom conselho evitar a exposição solar nos horários de pico.
O uso contínuo do anticoncepcional também é considerado fator determinante para o aparecimento do melasma. Anticoncepcionais e tratamentos hormonais podem alterar o equilíbrio funcional do organismo, e podem causar produção excessiva de melanina, favorecendo o surgimento de manchas.
Se as manchas surgirem durante a gravidez, elas devem ser tratadas, principalmente se houver intenção e/ou desejo de engravidar novamente. E lembre-se: sempre procure um médico dermatologista para tratar o melasma. Ele é o profissional mais indicado para lhe orientar.

Tags: