Gestação e Doenças Reumáticas

Algumas patologias reumatológicas, especialmente o Lupus Eritematoso Sistêmico e a Artrite Reumatóide, acometem principalmente mulheres e obviamente, o tema Gestação faz parte do atendimento destas pacientes.

Saliento que não há contraindicação para a concepção. Entretanto, a mesma deve ser planejada, levando em consideração os medicamentos usados, alguns sabidamente teratogênicos (substância que é capaz de causar dano ao embrião ou ao feto durante a gravidez), para que possa ser feita uma substituição adequada durante a gravidez, além da gravidade da doença, que pode interferir no binômio materno-fetal. Um comprometimento da função renal pelo lúpus, por exemplo, deve ser levado em consideração, já que a gravidez impõe uma sobrecarga natural aos rins.

A gravidez deve ocorrer em um momento de estabilidade da doença reumática.

Os cuidados e a atenção no pré-natal também são fundamentais, por isso o ideal é um acompanhamento conjunto pelo obstetra e reumatologista. Por quê? Durante a gravidez, a presença de autoanticorpos na mãe pode determinar complicações no feto, como o já bem documentado bloqueio cardíaco congênito observado em recém-nascidos, filhos de mães com Lupus Eritematoso Sistêmico e a presença do autoanticorpo Anti-Ro/SSA.

Lembramos também da possibilidade de aborto de repetição estar associado à chamada Síndrome Antifosfolípideo, doença em que o organismo passa a produzir anticorpos que afetam a coagulação sanguínea. Os anticorpos antifosfolipídeos estão presentes em 5% da população normal. Muitas vezes o diagnóstico em mulheres é feito somente pelo histórico de abortos. O tratamento preconizado é o uso do AAS infantil, o anticoagulante heparina e a hidroxicloroquina, isolados ou associados, dependendo do caso.

A evolução em todas as áreas da medicina é diária e constante, de maneira que as pacientes portadoras de doenças reumáticas e seus cônjuges, com supervisão médica adequada, poderão através de um planejamento adequado, realizar o sonho da maternidade.

 

Umberto Oliveira Filho, MD
Médico Reumatologista
Prof. Adjunto FAMED/UFPel