Como é trabalhar no Hemocord

A enfermeira Maria Alice Costa Moraes, 47 anos, faz parte da história do Hemocord. A profissional foi uma das primeiras coletadoras de células-tronco do cordão umbilical do Hemocord no sul do Brasil. Ela começou ainda quando era funcionária da UTI Neonatal do Hospital Santo Antônio, da Santa Casa de Misericória de Porto Alegre, onde atuou por 7 anos até receber o convite da diretoria do Hemocord para ser responsável pelo Treinamento dos Enfermeiros Coletadores. Atualmente, o grupo dispõe de 209 enfermeiros em todo o Brasil.

Maria Alice contabiliza 108 treinamentos em seu currículo que capacitaram mais de 200 profissionais da Enfermagem. Além disso, ela realiza as atualizações dos coletadores, assim como, palestras em cursos de gestantes em praticamente todo o Brasil.

“Sou apaixonada pelo meu trabalho. Acredito que é uma grande causa e que estamos construindo a possibilidade para o tratamento de diversas doenças. Estamos construindo o futuro”, afirma. Ela completa dizendo que é mais que um emprego, “é uma oportunidade de trabalhar na causa do armazenamento das células-tronco”.