Como as células-tronco mesenquimais atuam nos tratamentos das distrofias musculares

São chamadas de distrofias musculares as doenças em que há degeneração muscular. Além da musculatura esquelética, que nos permite a movimentação, essas doenças podem acometer também a musculatura cardíaca e, assim, evoluírem para perda progressiva dos movimentos e da capacidade respiratória e cardiovascular. Há mais de 30 tipos de distrofias descritas na literatura, e a severidade e gravidade da doença é variada. Por serem doenças incuráveis, há muitos estudos que buscam entender melhor as distrofias e novas terapias para estes pacientes. Inúmeras pesquisas indicam que as células-tronco mesenquimais poderiam ser uma alternativa para essas doenças. Entenda o mecanismo da terapia celular nesses casos:

Modulação da inflamação
A inflamação decorrente da doença acelera ainda mais a degeneração muscular. Um dos
benefícios das células-tronco mesenquimais é baseado na sua capacidade de secretar
compostos capazes de reduzir esse processo inflamatório, retardando o progresso da doença.

Regeneração muscular
As células-tronco são células coringa, com capacidade de se “transformar” em diferentes tipos celulares. Assim, as células-tronco podem gerar novas células musculares, sem a doença, e regenerar o músculo danificado. Para que isso aconteça, devem ser utilizadas células-tronco que não sejam obtidas do doente.

Fontes utilizadas:
http://tudosobrecelulastronco.com.br
Sandri. Memory or amnesia: the dilemma of stem cell therapy in muscular dystrophies. J Clin
Invest. 2015;125(12):4331–4333.
Wagner, KR et al. Stem cell-based therapies for Duchenne muscular dystrophy. Exp Neurol doi:
10.1016/j.expneurol.2019.113086. Epub 2019 Oct 19. Disponível em: >
https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31639376/ <