Entenda o que as células-tronco tem a ver com a Nicole, da novela "Amor à Vida"

O drama de Nicole, vivido pela jovem atriz Marina Ruy Barbosa na novela Amor à Vida, tem despertado o interesse do público por uma doença ainda pouco conhecida e que chama atenção pela incidência na faixa etária geralmente compreendida entre os 25 e 30 anos de idade, como é o caso da personagem diagnosticada com um linfoma de Hodgkin.

Os linfomas têm origem no adoecimento das células defensoras do organismo chamadas de linfócitos, as quais estão distribuídas nos gânglios do sistema linfático, localizados em vários órgãos do corpo humano. Apesar de raros e agressivos, em geral, apresentam altos índices de cura.

O médico hematologista e responsável técnico do Hemocord, Dário de Lima Brum, explica algumas particularidades da doença e fala sobre a possibilidade de utilização de células-tronco como alternativa de tratamento.

HN – Quais os tipos mais comuns de linfomas?

Dr.Dário: Os linfomas são um grupo de doenças que tem a sua origem nas células do sistema linfático. O linfoma é o câncer que surge quando uma célula do sistema linfático normal se transforma em uma célula maligna e que cresce de uma forma descontrolada.Há dois grandes grupos de linfomas: Os linfomas de Hodgkin e os linfomas não-Hodgkin, sendo o segundo grupo mais frequente e ocorre em qualquer idade.

HN – Por que é possível utilizar as células–tronco no tratamento de linfomas?

Dr.Dário: O fundamento em utilizar células-tronco no tratamento de doenças hematológicas, como os linfomas e leucemias, está baseado no fato de que as células sanguíneas maduras que circulam em nosso organismo provêm de uma única célula denominada de progenitora , células-tronco hematopoiéticas  ou stem cells . Essas células podem ser obtidas por fontes diferentes, como a  medula óssea, a partir do sangue periférico ou sangue de cordão umbilical. Quando infundidas no receptor, se implantarão na medula óssea e iniciarão a reconstituição do tecido hematopoiético livre de doença.

HN – Em que fase elas podem ser aplicadas?

Dr.Dário: A indicação do transplante dependerá do tipo e estadiamento da doença bem como da idade do paciente, que deverá estar com a neoplasia controlada preferencialmente. Os critérios estabelecidos para transplante são definidos a partir de protocolos aprovados por comitês de ética.

O tratamento para os linfomas consiste em quimioterapia associada ou não à radioterapia e ou imunoterapia. Para alguns pacientes , em que o tratamento com medicamentos não determinou a cura ou remissão prolongada, pode ser necessário o transplante com células progenitoras hematopoiéticas.

HN – Como funciona a infusão/aplicação das células-tronco?

Dr.Dário: A infusão é muito similar à transfusão de sangue, onde a suspensão das células-tronco é infundida na veia do paciente. É um processo que normalmente pode levar em torno de 1 hora. Alguns pacientes podem apresentar efeitos colaterais, os quais são tratados e rapidamente resolvidos.

O Linfoma foi descrito pela primeira vez em 1839 por Thomas Hodgkin, um médico inglês. Desde então, foram descobertos mais de 40 subtipos que se diferenciam pela linhagem das células e por alterações em nível molecular.