Transplante de células-tronco para problemas no fígado

Transplante de células-tronco para problemas no fígado

Desde sua descoberta, as células-tronco vêm auxiliando os cientistas a descobrirem soluções para vários tipos de doenças. Algumas, que já tinham solução temporária, ganham a esperança de uma cura mais permanente. Outras, que já tinham cura permanente, mas que dependiam de muitos recursos ou que demoravam muito, tem a esperança de um período de espera menos sofrido e mais qualidade de vida.
É o caso dos pacientes com problemas no fígado. Você sabia que os estudos com células-tronco podem ajudar quem tem cirrose?

O que é cirrose?

Cirrose hepática é uma destruição das células do fígado, que pode ser causada por vírus ou por ingestão de álcool. Nesse segundo caso, o etanol é metabolizado no fígado e se transforma em ácidos nocivos. O tecido hepático passa a desenvolver fibrose e danifica o fígado.
Na fase crônica da doença, a evolução da fibrose para cirrose pode levar o paciente a um quadro de insuficiência hepática e, por consequência, à morte. Em qualquer caso, os danos causados ao fígado são irreversíveis. A única cura possível no momento é o transplante de fígado.

O que as células-tronco podem fazer por quem tem problemas no fígado?

Em 2005, com participação de profissionais da Universidade Federal da Bahia e do Hospital São Rafael, foram realizados os primeiros transplantes do mundo com células-tronco de medula óssea para problemas no fígado.
Essa pesquisa foi feita em camundongos, que receberam uma dieta composta de tetracloreto de carbono e álcool, para provocar uma doença semelhante à cirrose. Junto à utilização do modelo da fibrose provocada por esquistossomose, houve uma redução de 60% da fibrose hepática, aproximadamente.
O procedimento funciona assim: a equipe retira uma quantidade de líquido produzido pela medula óssea do paciente, purifica o material para retirada das células-tronco e injeta as células por um cateter na artéria hepática. Depois desse procedimento, o paciente é acompanhado por alguns meses para que os resultados sejam observados.

Outros estudos para tratamentos de problemas no fígado

Mas as pesquisas não pararam por aí: o professor Shuichi Kaneko, da Universidade de Kanazawa, no Japão, testou um procedimento parecido, induzindo uma cirrose não alcoólica nos camundongos e utilizando células-tronco derivadas do tecido adiposo de outro camundongo. Depois de algumas semanas de observação, percebeu-se que as células-tronco foram incorporadas ao tecido hepático e contribuíram para a diminuição da cirrose.
Em estudos ainda mais recentes, pesquisadores da Universidade de Minnesota, nos EUA, descobriram uma melhor forma de purificar as células do fígado, obtidas a partir de células-tronco pluripotentes induzidas. Isso facilitaria o tratamento de doenças do fígado com células-tronco.
Utilizando uma nova tecnologia de captura de superfície celular quimio proteômica, o grupo de pesquisadores pode mapear as proteínas da superfície das células hepáticas, o que garantiu uma população de células mais pura e homogênea. Sem essas características, é difícil reconhecer as diferenças sutis causadas pelas mutações, o que faz toda a diferença na vida do indivíduo com problemas no fígado.
É importante salientar, no entanto, que essas pesquisas não propõem uma cura para a cirrose. O objetivo é tratar os pacientes que esperam por um transplante de fígado, ainda a única cura conhecida para o problema. As pesquisas continuam acontecendo com a esperança de levar uma qualidade de vida maior para esses pacientes.