Violência cotidiana

Violência cotidiana: como explicar e proteger os filhos

A violência cotidiana é um tema recorrente nos dias de hoje, especialmente para quem vive em grandes cidades. Esse é um assunto delicado e que preocupa famílias no mundo todo.

Como explicar a violência para as crianças de modo que elas entendam? E como protegê-las sem reprimi-las?

Como explicar a violência cotidiana para seus filhos?

Explicar temas delicados para seus filhos é sempre uma tarefa que exige cuidado. Especialmente quando precisamos explicá-los para crianças pequenas, que ainda não têm ideia da dimensão que os problemas podem tomar quando não adotamos as precauções necessárias.

Mas existem formas de manter seu filho consciente da situação da violência cotidiana, mesmo que ele não compreenda por completo as notícias que passam na televisão ou publicadas na internet.

A melhor forma de explicar a violência para seus filhos é usar a linguagem deles, com exemplos que eles entendam. Para crianças pequenas, isso pode significar usar explicações mais lúdicas – como desenhos, teatrinhos ou histórias de faz-de-conta.

Pense nos contos de fada e seus objetivos iniciais, que eram ensinar às pessoas o que era perigoso. Contar a história da Chapeuzinho Vermelho e mostrar como o Lobo Mau é perigoso para crianças que saem sozinhas na rua, por exemplo, é um modo de abordar a violência cotidiana.

E quanto mais a criança cresce, mais essas explicações podem ficar claras. Elas podem até mesmo envolver exemplos reais, quando for necessário. Lembre-se de que crianças são inteligentes, e elas também têm medo de serem roubadas ou machucadas.

A sinceridade é a melhor maneira de explicar para o seu filho que, mesmo que vocês morem em um ambiente seguro, alguns lugares e situações não são tão seguros.

Como proteger seu filho da violência cotidiana?

Ainda que a violência das grandes cidades seja imprevisível e, muitas vezes, possamos ficar sem ter o que fazer diante dela, pequenas atitudes podem ajudá-lo a manter seu filho mais seguro.

Por exemplo:

  • Use o cinto de segurança do carrinho do bebê para garantir que ninguém possa  tirá-lo do carrinho com facilidade;
  • Evite levá-lo para passear em lugares desertos e sem iluminação à noite;
  • Mantenha os bebês em cangurus ou slings, onde eles ficam protegidos, contra o seu corpo;
  • Mantenha crianças maiores sempre ao alcance das mãos e no seu campo de visão;
  • Antes de entrar em casa ou no carro, olhe para todos os lados. Se ver algo suspeito, espere para entrar no carro ou casa e busque ajuda;
  • Não use adesivos que mostram os membros da família, porque eles mostram para quem está fora do carro o quanto quem está dentro é vulnerável e o quanto seria fácil a abordagem;
  • Quando houver essa opção, dirija na pista do meio, evitando que as janelas fiquem ao lado da calçada;
  • Não ande com as janelas do carro abertas;
  • Em estacionamentos, não pare ao lado de carros e vans muito grandes. Eles cobrem a visão de câmeras de segurança, impedindo que alguém veja caso alguma coisa aconteça com você;
  • Caso haja um assalto, não saia do carro enquanto não tirar seu filho da cadeirinha, para evitar que os assaltantes o levem junto.

A violência cotidiana é um assunto muito sério, que deve ser tratado de modo que seu filho entenda a importância. Para saber mais sobre como tratar esse e outros temas delicados, continue sua leitura neste texto.

Outra maneira de explicar a violência cotidiana é por meio da literatura. Confira nossas dicas de livros para seu filho adolescente!