intolerância alimentar em bebês e crianças

Intolerância alimentar e seus sintomas nos bebês e nas crianças

Geralmente, começa ainda na primeira infância. A intolerância alimentar, realmente, é uma grande preocupação entre pais e mães. Na verdade, até que ela seja observada e diagnosticada é como um tiro no escuro. Afinal, qual alimento está fazendo tão mal à criança? E se o alimento que faz mal for identificado, será que ele deve ser retirado totalmente do cardápio?

Ao notar qualquer irritação na pele, alterações gastrointestinais ou vômitos, os pais devem encaminhar seus filhos ao pediatra. Depois disso, uma série de exames serão feitos, além da observação. Os bebês e as crianças desenvolvem uma hipersensibilidade diante dos alimentos, e quando eles são ingeridos geram a intolerância.

Não há uma regra específica. Os bebês e as crianças podem desenvolver ou não. Além disso, há graus diferentes. Alguns são mais sensíveis, e até mesmo o cheiro pode causar irritações. Já outros são mais tolerantes, e só apresentam sintomas quando o alimento é ingerido em grande quantidade. Mesmo nesses casos, o ideal é evitar ao máximo o alimento.

Há ainda alguns alimentos que são mais comuns, ou seja, aparecem com mais frequência na lista de alimentos que geram intolerância alimentar. Entre eles, podemos destacar a lactose (leite e derivados), glúten, frutose, cafeína e ovo. Algumas frutas e até frutos marinhos, como o camarão, também podem aparecer nessa lista.

Diferenças entre intolerância alimentar e alergia

A principal diferença entre alergia e intolerância alimentar está na reação do corpo ao entrar em contato com o alimento específico. Em casos em que a pessoa é alérgica, o organismo reconhece aquele alimento como um invasor – o mesmo ocorreria no caso de um vírus, por exemplo.

Portanto, na alergia, ao entrar em contato com o alimento, o corpo começa a produzir anticorpos para eliminar aquele invasor. Logo, os sintomas são mais generalizados.

Já na intolerância alimentar, o organismo não consegue digerir o alimento. Logo, os sintomas irão aparecer no sistema gastrointestinal como, por exemplo, dor no estômago ou diarreias. Além disso, as alergias são mais comuns na infância, enquanto que a intolerância alimentar pode ocorrer tanto na infância quanto na fase adulta.

Leia também: Desenvolvimento gastrointestinal dos bebês

Como identificar os sintomas de intolerância alimentar

Confira os sintomas mais comuns da intolerância alimentar nas crianças:

  •    Náuseas (logo após ingerir um alimento)
  •    Vômitos (logo após ingerir um alimento)
  •   Dores de cabeça (são menos frequentes, mas podem acontecer no dia da ingestão de um alimento)
  •    Ataques de asma (tonturas e falta de ar)
  •    Diarréias (acontecem com mais frequência)

Além disso, as crianças podem apresentar mudança no comportamento, principalmente em casos de intolerância a alimentos com coloração. As crianças, geralmente, mudam de humor após a ingestão do alimento. Ao substituir o alimento, é possível ter mais controle sobre o humor da criança.

Ao notar os sintomas, é importante procurar um médico e observar quais foram os alimentos ingeridos naquele dia. Depois disso, deve-se seguir as exigências médicas e eliminar o alimento do cardápio da criança.

Além do cuidado com a alimentação dos filhos, é bom também estimulá-los a ter responsabilidades, a ter um amigo com quem se preocupar e também proporcionar estímulos ao desenvolvimento do sistema imunológico. Conheça os benefícios que os animais de estimação proporcionam no crescimento saudável dos pequenos e jovens.