hora de aprender segunda língua

Qual é a idade ideal para as crianças aprenderem uma segunda língua?

Não é preciso dizer que, nos dias de hoje, falar uma segunda língua é cada vez mais importante. Saber mais de um idioma pode abrir muitas portas. Aprender uma cultura nova, conhecer pessoas de outros lugares do mundo, ter experiências mais completas em outros países e poder crescer no mercado de trabalho são apenas algumas oportunidades que a segunda língua traz.

Porém, muito se tem discutido sobre a idade ideal para aprender a segunda língua. E os pais sempre ficam na dúvida: meu filho é novo demais para aprender? Se eu colocá-lo em um curso infantil, ele vai confundir um idioma com o outro? Como posso estimular esse aprendizado?

Qual é a idade ideal para aprender uma segunda língua?

Muitas escolas e creches, hoje em dia, oferecem aulas de idioma para crianças bem pequenas. Algumas têm até um maternal bilíngue, em que as cuidadoras dos bebês falam com eles em uma segunda língua – normalmente, em inglês. Mas qual será a idade ideal para aprender um novo idioma?

O primeiro ponto a se pensar é a função da educação infantil. Nessa idade, as crianças ainda aprendem especialmente pela exploração, interação e descoberta. Mesmo em creches em que as crianças são deixadas com cuidadores, e não com professores, elas aprendem muito a partir de brincadeiras e do relacionamento com os colegas. O segundo idioma pode entrar nesse ambiente, mas deve ser colocado como algo natural e rotineiro – afinal, crianças não aprendem do mesmo modo que adultos.

Mas a verdade é que os autores que conhecemos hoje não chegaram a um consenso de qual é a idade ideal para aprender um idioma. Muitos acreditam que a tendência atual de ensino de idiomas para crianças vêm da crença de que existe uma idade crítica para o aprendizado, e que crianças aprendem com mais facilidade.

Essa crença é advinda, especialmente, do fato de que adolescentes, com a língua materna bem consolidada, têm mais dificuldades de adquirir uma pronúncia próxima da nativa na língua estudada. Porém, esse ainda é um assunto controverso e precisa ser mais estudado para encontrar uma resposta concreta.

 

O que é preciso considerar no ensino infantil da segunda língua?

O ensino infantil da segunda língua deve ser feito de forma natural e lúdica, para que seja compreensível para crianças. Elas ainda não têm noção do que é gramática, ortografia, conjugações e outras palavras difíceis, então a segunda língua deve chegar em formatos fáceis de entender, como desenhos, figuras, músicas e rimas.

Histórias infantis são uma ótima forma de trazer a segunda língua para a vida das crianças – e podem ser contadas também em casa, pelos pais. Elas não só estimulam a imaginação e a curiosidade, mas ajudam no desenvolvimento da linguagem, seja ela do primeiro ou segundo idioma.

Os pais podem estimular esse aprendizado através de narrativas fáceis do dia a dia, como contar sobre o coelhinho da Páscoa ou explicar para a criança que é hora de dormir. Cantar músicas fáceis na segunda língua também é uma ótima maneira de fazer com que a criança se acostume a esses novos sons e palavras.

Pais que nasceram em outros países podem conversar com o bebê em suas línguas maternas. Se um dos pais falar apenas em inglês e, o outro, apenas em português, o bebê conseguirá diferenciar os dois idiomas com mais precisão.

O importante é que o aprendizado da segunda língua seja feito de forma progressiva, no ritmo da criança, e que os pais fiquem atentos para qualquer mudança que ela possa apresentar. Durante o aprendizado de um idioma, por exemplo, a criança pode apresentar problemas fonoaudiólogos. Veja nesse texto como saber se seu filho precisa de fonoaudiologia.