Alimentação para mulheres tentando engravidar. Dicas para gestantes e tentantes.

Gestantes e tentantes: dicas sobre alimentação balanceada

A alimentação é um fator essencial para o desenvolvimento do bebê, mas muitas mulheres ficam em dúvida sobre como fazer escolhas nutricionais positivas antes e durante a gestação. O mais indicado é que, desde o momento em que se decide engravidar, o casal busque orientação com um nutricionista. Após passar por uma avaliação, o profissional de nutrição vai sugerir uma dieta adequada às necessidades específicas da gestante. E para o caso dos tentantes, o papel de ser saudável não é só da mulher. Os dois futuros pais precisam ter uma alimentação com ingestão moderada, colorida, rica em vegetais e gorduras boas!

Tudo isso vai colaborar para que o processo de fecundação seja positivo e, mais tarde, para que o período gestacional se desenvolva de forma descomplicada.

Quais nutrientes não podem faltar na dieta das futuras mamães?

Apesar de uma avaliação individualizada ser importante, existem nutrientes que não podem faltar para a maioria das mulheres que pretendem engravidar ou já estão esperando o seu bebê.

Algumas dicas:

  • Vitaminas B9 e B6 facilitam a penetração de espermatozoide¹, diminuem o risco de asma no bebê² e o risco de depressão pós-parto³. Sugestão: coma mais peixes, oleaginosas, legumes e hortaliças com folhas escuras, óleos vegetais, carnes magras, leite e ovos;
  • Os laticínios e seus derivados têm alta concentração de proteína e cálcio, nutrientes que diminuem as chances de infertilidade4 e proporcionam um melhor desenvolvimento do bebê. Sugestão: coma e beba mais lácteos em suas versões integrais;
  • O ácido fólico é um dos nutrientes mais importantes no período de tentativa! Ele garante uma gestação mais saudável e minimiza a probabilidade de o bebê desenvolver doenças congênitas5. Sugestão: coma mais frutas cítricas, legumes, grãos e cereais fortificados.

Equilíbrio pode exigir algumas renúncias

Antigamente, falava-se que a mulher grávida deveria comer por dois. Com todas as alterações no organismo, é de se esperar que o metabolismo também seja afetado, causando mais fome. Além disso, o gasto calórico da gestante também é maior. Porém, é necessário pegar a via do bom senso e apostar no equilíbrio. A gestação não é hora de fazer dieta hipocalórica, mas também é importante não abusar das calorias.

Se você está em dúvida sobre questões como álcool, doces, café e outros alimentos que são ou já foram considerados inimigos da gestante, converse com o seu médico. Cada organismo é muito particular, mas não há evidências sobre a necessidade de eliminar nenhum alimento do cardápio. Consulte um especialista e aprenda a fazer trocas saudáveis. Talvez aquele café expresso duplo tenha que ser trocado por um simples ou passado, aquela taça de vinho todo final de dia tenha que ser tomada em menor quantidade e uma vez na semana, a barra de chocolate inteira, talvez se transforme em apenas um quadradinho.

Somente com orientação adequada e informação segura você poderá fazer as melhores escolhas para você e o seu bebê.

 

Referências:

1 Livro Fertility Diet, da Harvard School of public health.

2 Estudo científico da Universidade de Copenhagen (Dinamarca).

3 Estudo da pesquisadora Michelle Price Judge, da Escola de Enfermagem da Universidade de Connecticut.

4 Livro Fertilidade e Alimentação, AS Cambiaghi, D de Souza Rosa

5 Defeitos do Tubo Neural e Hidrocefalia Congênita, artigo publicado no Jornal de Pediatria, Vol. 79, Nº2, 2003, p.105, por Eugênio Grillo e Ronaldo José Melo da Silva