Você vive a filhocracia? Descubra como educar os filhos | Hemocord Magazine
educar os filhos mimados

Você vive a filhocracia? Descubra como educar os filhos

Saber como educar os filhos é algo complicado, especialmente para pais de primeira viagem. É preciso gritar com as crianças? Colocá-las de castigo? Conversar sobre o assunto, mesmo que elas ainda não saibam falar? Como criar filhos que sejam educados, mas curiosos, criativos e felizes?

A dificuldade dessa tarefa vem atormentando muitos pais que vivem em estado de filhocracia. Você já ouviu falar disso? Descubra o que é no texto de hoje e conheça um método que pode ajudá-lo a educar os filhos de uma maneira mais harmônica.

Educar os filhos ou ser educado: entenda a filhocracia

Nos últimos anos, educar os filhos se tornou algo muito diferente do que costumava ser. Por vários motivos: o abandono de velhos métodos, a mudança da dinâmica da sociedade, a maneira como enxergamos a infância e todo o ambiente em que as crianças crescem hoje em dia.

Enquanto essas mudanças trazem vantagens, elas também trazem problemas. A tendência agora é criar os filhos para que eles sejam adultos de sucesso no futuro – o que inclui muitas aulas extras depois da escola, muitos estímulos e muito diálogo, coisas que não são ruins em si.

Porém, na prática, elas dificultam tanto a vida das crianças quanto a vida dos pais. Os pequenos começam a ficar estressados com tantos afazeres e cansados de tantos estímulos antes mesmo de chegar à pré-adolescência. Os pais passam a enxergar o filho como um pequeno adulto e, sem mesmo perceber, começam a deixá-lo fazer o que quiser.

É o que chamam de “filhocracia”: quando os filhos decidem, com ou sem consciência disso, o que seus pais vão fazer. Isso acontece quando o cardápio da semana sempre é moldado de acordo com os gostos do pequeno, os pais só saem para lugares em que a criança pode ir, o filho pode dormir a hora que quiser enquanto seus pais esperam pacientemente…

Muitos pais se identificam com essas situações e vivem em uma filhocracia sem saber como restabelecer a disciplina e a harmonia dentro de casa.

A maneira francesa de educar os filhos

A jornalista estadunidense Pamela Druckerman teve sua primeira gravidez em Paris, na França, e percebeu muitas diferenças entre a maneira de educar os filhos no país em que vivia e nos Estados Unidos, cujos pais têm maneira semelhante à do Brasil.

Seu livro, “Crianças francesas não fazem manha”, é um grande sucesso de vendas no mundo todo que relata não só algumas das técnicas dos pais franceses, mas também os resultados no comportamento das crianças – que são mais calmas, pacientes, comem de tudo, dormem em um horário adequado e, como diz o título, não fazem manha.

E essa maneira francesa de educar os filhos pode ser um excelente antídoto contra a filhocracia.

Alguns fatos relatados por Druckerman no livro:

  • A maior parte das pessoas – independentemente de classe social, profissão ou qualquer outro fator – cria seus filhos de maneira parecida. Não há perigo de outro adulto oferecer doces a uma criança fora do horário das refeições. A educação das crianças é uma tarefa de todos;
  • Os pais franceses cuidam dos filhos com carinho e atenção, mas não deixam que suas vidas girem em torno deles. As crianças estão acostumadas a passar por “momentos de adultos” em que ninguém brinca com elas. Nenhum adulto deixa de fazer tudo o que está fazendo para dar atenção a uma criança que está fazendo manha;
  • Apesar de quererem que seus filhos aprendam e sejam estimulados, os franceses não colocam as crianças em todas as aulas extracurriculares do mundo. Elas têm mais tempo livre – e ficam menos ansiosas por isso;
  • Os pais franceses não se levantam para ver o que o filho quer toda vez que o bebê resmunga. Eles esperam alguns minutos para ter certeza do que a criança realmente precisa;
  • As crianças francesas comem o que os adultos comem. Não há outras opções feitas especialmente para elas.

Ainda que nem todo o método funcione com todo mundo, você pode se inspirar na maneira francesa para educar os filhos. Assim, quem sabe, a filhocracia chegue ao fim, e você possa aproveitar sua vida de pai/mãe e de indivíduo, trazendo mais harmonia para o ambiente familiar.

A criação dos filhos nunca é um tema simples. Outro aspecto que leva à filhocracia é a superproteção, por exemplo. Você se acha superprotetor? Venha conferir este post!