Estudo preliminar demonstra efetividade de células mesenquimais do cordão umbilical no tratamento da DPOC | Hemocord Magazine

Estudo preliminar demonstra efetividade de células mesenquimais do cordão umbilical no tratamento da DPOC

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) está entre as três principais causas de morte em todo o mundo, e é consequência de uma inflamação pulmonar crônica. Apesar de ser uma doença com alta prevalência no Brasil e no mundo, os benefícios dos tratamentos disponíveis são bastante limitados e implicam em baixa qualidade de vida destes pacientes. Tendo isso em vista, um estudo piloto testou a eficácia e segurança do tratamento com células estromais mesenquimais obtidas do tecido de cordão umbilical em pacientes com DPOC.

Na investigação, 20 pacientes com DPOC moderada a grave receberam infusão de células
mesenquimais derivadas do tecido de cordão. Após o tratamento, o estado de saúde dos pacientes foi acompanhado e verificado por seis meses consecutivos. A terapia celular mostrou-se efetiva, com melhora da capacidade pulmonar dos pacientes e diminuição das exarcebações da doença. Quanto mais grave o quadro do paciente, mais evidente foi a melhora.
Os benefícios do tratamento permaneceram até o final do estudo (seis meses) e impactaram em melhor qualidade de vida dos pacientes analisados, cuja idade média foi de 67 anos.
Espera-se que os pacientes com DPOC possam se beneficiar com a terapia celular – incluindo a terapia com células mesenquimais – no futuro. Por ser uma pesquisa preliminar, são necessárias mais investigações para padronizar a técnica do tratamento, e avaliar a manutenção da segurança e da efetividade das células mesenquimais do tecido de cordão nos pacientes com esta doença. Estes primeiros indícios apontam que a terapia é segura, sem efeitos colaterais importantes.Leia o estudo na íntegra:
Le Thi Bich et al, 2020. Allogeneic umbilical cord-derived mesenchymal stem cell transplantation for treating chronic obstructive pulmonary disease: a pilot clinical study. Disponível em: https://stemcellres.biomedcentral.com/track/pdf/10.1186/s13287-020-1583-4
Saiba mais sobre a DPOC no Brasil:
Macedo, LG et al; 209. Tendências da morbidade e mortalidade da DPOC no Brasil, de 2000 a 2016. Disponível em: https://s3-sa-east-1.amazonaws.com/publisher.gn1.com.br/jornaldepneumologia.com.br/pdf/2019_45_6_3065_portugues.pdf