crescimento saudável com animais

Importância dos animais de estimação para o crescimento saudável dos filhos

Não há como negar o encanto que os animais de estimação causam nas pessoas. Mesmo quem não tem seu próprio bichinho, tem alguma relação com o cachorro, gato, coelho de um amigo ou parente. Eles são companheiros, divertidos e trazem conforto para seus donos e ajudam no crescimento saudável dos filhos.

A relação entre crianças e animais de estimação é um encanto quase natural: elas amam animais de estimação e são amadas por eles. A boa notícia é que essa relação de puro amor traz muitos benefícios.

Mais saúde e felicidade

O primeiro benefício visível de ter um animal de estimação sempre presente na vida da criança, desde seus primeiros meses, é que eles provocam novos estímulos. A criança tem que aprender a controlar sua força e seus movimentos para fazer carinho nele. Ela treina sua caminhada ou engatinha para ir atrás dele. Todo movimento do bicho desperta e estimula os sentidos dela e ajuda muito no crescimento saudável. É algo completamente diferente dos humanos, com quem ela já está acostumada.

Além disso, ter animais de estimação também melhora a saúde da criança: estudos mostram que entrar em contato com animais desde cedo melhora o sistema imunológico da criança. Quanto mais micróbios o organismo aprende a reconhecer, mais forte ele se torna. Por isso, crianças com bichinhos de estimação em casa são mais saudáveis, tem um organismo mais reforçado e estão menos sujeitas a doenças como a asma. O animal também estimula atividade, o que previne a obesidade.

Outro benefício é bem conhecido: o da responsabilidade. Muitos pais que não tinham animais de estimação resolvem ter para estimular a responsabilidade dos pequenos. Eles aprendem a cuidar, alimentar, limpar e passam a criar autoridade com o animal. A pediatra Sandra Oliveira Campos diz que é um ótimo exercício em um mundo em que a criança, normalmente, só segue ordens: “Com o animal, ela terá a oportunidade de ser o juiz, mandar e desmandar”. A idade ideal para que você possa realmente contar, na prática, com o exercício da responsabilidade, gira em torno dos 10 a 11 anos.

E uma criança que cresce com essa responsabilidade, aprende desde cedo que existe algo no mundo além dos seres humanos, e tem uma relação melhor com a natureza e seus seres. “Uma criança que cresce com um bichinho aprende desde cedo a respeitar a vida e a natureza de uma maneira ativa, compreendendo com naturalidade os cuidados e carinho que essa relação exige”, diz a veterinária Cristiane Perine.

Crianças mais responsáveis, amorosas e cuidadosas são criadas com animais de estimação. Mas como escolher o bichinho ideal para viver com seu filho?

Estudos comprovam benefícios para o crescimento saudável

Antes, era um tabu: crianças não deveriam crescer em um ambiente de contato direto com animais. Isso não era saudável. Pesquisadores canadenses não apenas derrubaram esse mito como provaram o contrário.

Ter animais de estimação em casa é saudável para mães e crianças. Quem diz isso é a pediatra epidemiologista Anita Kozyrskyj, da Universidade de Alberta, no Canadá.

Para chegar a esta conclusão, a equipe de Kozyrskyj detectou, no material biológico de bebês com 4 meses que vivem com pets, a presença de micróbios que ajudam no desenvolvimento do sistema imunológico dos pequenos.

Foram analisadas amostras fecais de 24 bebês, coletadas entre 2008 e 2009. Destes, 15 vivem em lares com pelo menos um cão ou gato.

Sabe aquela criança que não tem contato com animais, terra e quintal e tem alergia a tudo? Ela frequenta o imaginário popular, que pode ter muita razão: os pesquisadores encontraram altíssima diversidade de microrganismos nos bebês que dividem a casa com os pets, justamente devido à maior exposição a partículas deixadas pelos animais, como pelos e rastros das patinhas.

Os resultados da pesquisa ainda são muito recentes, mas é fato que a vida ao lado de um animalzinho pode ensinar à criança o valor de uma vida mais voltada à natureza e aos seres vivos, e menos focada em tantas telas e eletrônicos, além de contribuir para o seu sistema imunológico.