Confira dicas de como facilitar a convivência entre irmãos

Convivência entre irmãos: como administrar?

Assim como os pais se dedicam aos cuidados individuais com cada um dos filhos, uma convivência saudável entre os irmãos deve ser desenvolvida e estimulada. Administrar esse relacionamento pode não ser uma tarefa fácil, porém é ponto muito importante para a harmonia familiar.

O relacionamento entre irmãos tem potencial para ser o mais duradouro da vida. Portanto, é função dos pais e demais familiares otimizar a formação do vínculo para que ele possa beneficiar ambos os filhos de diferentes formas, no presente, no futuro e em todas as áreas da vida.

Um dos principais motivos para desenvolver essa relação, baseada em respeito, empatia e amizade, é a influência que os irmãos têm entre si, muitas vezes mais marcante que a inspiração nos próprios pais.

Confira algumas dicas que podem auxiliar na boa convivência entre irmãos desde o início dessa relação:

 

1. Se um novo membro na família vai chegar, não esconda

A boa convivência entre irmãos pode iniciar antes mesmo do nascimento de um deles. Por isso o momento de contar a novidade ao primogênito é tão importante. Ele deve ser um dos primeiros a ser informado sobre a gestação, para que não exista chances de ouvir a novidade por outras pessoas que não sejam os pais.

O vínculo de “irmão mais velho” já pode ser iniciado nesse momento. Citar características que possam agradar a criança, como a diversão de uma nova companhia ou a responsabilidade da função, podem ser boas formas de incluir o primeiro filho neste momento tão especial.

 

2. Respeite as inseguranças do primeiro filho

Para deixar o momento de transição mais suave, os pais e os demais familiares devem agir de forma cuidadosa e respeitosa com as inseguranças do primeiro, ou primeiros, filhos. As dúvidas da criança não devem ser encaradas com seriedade. É preciso explicar que a atenção e amor por um filho não serão substituídos por outro.

 

3. Esteja presente e comemore as conquistas do primogênito

O prazer da convivência com o primogênito deve continuar, assim como as comemorações por suas conquistas. O amor da mãe, do pai e dos demais familiares para com o primogênito também deve ser sempre reafirmado com palavras e carinho, durante e após a gestação. 

 

4. Respeite os filhos como indivíduos e estimule a fraternidade

É preciso dispensar atenção para ambos os filhos, primeiro como indivíduos e depois como uma irmandade. A personalidade e os gostos individuais de cada um devem ser respeitados e estimulados desde cedo, assim como a interação entre eles.

Comparações devem ser evitadas, assim como a competição por atenção e a escolha de um lado durante as discussões. Os irmãos devem ser estimulados a desenvolver a comunicação e a resolução de atritos em si, sempre com respeito, não importando a diferença de idade.

Por fim, mas não menos importante, os tratamentos diferenciados por conta da idade ou demais necessidades individuais de cada filho devem ser sempre bastante transparentes. Caso exista alguma dúvida ou questionamento quanto ao tratamento, a sinceridade e a didática dos pais são as melhores soluções.